sábado, 16 de julho de 2011

3

Semana da Gravidez - Contrações

Vou contar um pouquinho de como foi essa experiência durante toda a gestação, é isso mesmo, as contrações não acontecem só quando está na hora do bebê nascer, mas sim durante quase toda a gestação em que o útero vai se preparando para o grande dia.

1. Com quanto tempo de gestação começaram as contrações de treinamento?


Edna: Por volta das 35 semanas comecei a sentir mais bem leves e não doia, a barriga ficava dura e depois relaxava


Carol: Não sei dizer exatamente quando as contrações de treinamento começaram, sei que eram fracas, e próximo ao final da gestação eram bem fortes, mas totalmente indolores


Cyy: As falsas eu tive por volta das 31 semanas e eram bem fortes.


Ana: Não me lembro quando tive a primeira contração de treinamento, aproximadamente com 20 ou 22 semanas de gestação; eram praticamente indolores, sentia meu abdômen todo contraído, durava alguns segundos e parava. Continuava trabalhando e fazendo as tarefas normalmente, não me atrapalhava.


Bruna: Eu nunca senti as tais contrações de treinamento, embora nos exames de cardiotoco que eu fiz indicasse que eu tinha sim (mas isso já depois das 30 semanas).

Tati: Por volta do 5.º mês (mais ou menos 20 ou 22 semanas), eu já sentia as contrações de treinamento. Eram indolores, mas bem perceptíveis.


2. E as contrações verdadeiras, quando começaram?
Edna: Eu comecei a sentir contrações verdadeiras com 4 meses e no meu caso elas eram bem fortes para o tempo de gestação que eu estava, voltei a sentir contrações bem fortes aos 7 meses. 

Carol:  as contrações para o parto começaram exatamente com 41 semanas.

Cyy: faltando dois dias para o parto comecei a ter muitas contrações bem doloridas e um pequeno sangramento.


Ana: . As contrações para o trabalho de parto começaram com 38 semanas (7 horas antes do Erik nascer).


Bruna: Só fui sentir contração de verdade, e essas bem doloridas, um dia antes do nascimento do Pedro.

Tati: Tive apenas 2 episódios de contrações fortes e bem doloridas. Isso foi na semana do nascimento do Miguel (39 semanas de gestação).

3.O que meu médico recomendou?


Edna: Na Primeira vez meu médico me recomendou repouso e me receitou um remédio chamado inibina, pois as contrações eram muito fortes e se continuassem aumentando poderiam me induzir a um trabalho de parto muito prematuro e isso poderia causar a perda do bebê, tomei esse remédio por um mês e como tudo já tinha se normalizado, o uso foi suspenso a pedido do meu GO, na segunda vez, as contrações foram causadas por excesso de esforço e estresse, mais uma vez o médico recomendou repouso e me receitou um relaxante muscular que ajudaria no alívio das dores, é muito importante que tudo seja acompanhado de perto pelo médico.

Carol: Para as de treinamento nada, já as do parto recomendou exercícios respiratórios, caminhada e massagem.

Cyy: Nada de diferente, somente não fazer esforço.

Ana: Meu obstetra recomendou muito fazer atividades físicas e alongamentos. Para as contrações do trabalho de parto ele recomendou que eu parasse com as atividades físicas e continuasse com a rotina do meu cotidiano, porém, sem fazer esforços, sem stress e num ritmo mais calmo possível para ir me preparando para o parto descansada.


Bruna: No meu caso recomendou o parto, já que a primeira contração que eu senti foi com 38 semanas (e o Pedro já estava bem baixo e eu com dilatação).

Tati: Em um único episódio, eu disse à médica que as contrações estavam muito fortes e quase regulares. Ela disse que provavelmente ainda não havia chegado a hora, mas que eu fosse ao hospital, apenas para me tranquilizar. Realmente ainda não era a hora.

4.Como começaram as contrações e qual foi a primeira reação?

Edna: Eu sentia uma dor no baixo ventre e em seguida essa dor vinha das costas em direção ao umbigo, a barriga ficava mais dura por um tempo e depois tornava a relaxar, isso na primeira e na segunda vez ( 4 e 7 meses), como eu não sabia que dores eram aquelas que eu estava sentindo, de primeira eu ligava logo pro GO, e em seguida como as dores não passavam eu ia direto pra emergência, ai lá foi constatado que as dores eram contrações, no meu caso de moderadas a fortes, e pro tempo de gestação que eu estava não eram pra estar acontecendo com tanta intensidade, nas últimas semanas comecei a sentir as contrações de treinamento ou falsas contrações, a barriga só endurecia, mas sem dor, apenas umas fisgadas leves, como eu já estava ansiosa pra sentir as contrações eu informei ao meu médico e descrevi o que eu sentia, aí ele explicou que eram os treinos pro trabalho de parto verdadeiro.

Carol: As de treinamento vinham rápidas, deixavam a barriga bem dura, dava até uma falta de ar, mas logo passavam, as do parto vinha das costas para baixo da barriga, primeiro doía, depois apertava bastante, ai parava.

Cyy: As de treinamento foram rápidas, a barriga endurecia e logo voltava ao normal, algumas vezes foram bem doloridas.


Ana: As de treinamento eram rápidas, o abdômen enrijecia em alguns segundos e depois voltava ao normal. Eu ficava em alerta, dava um gelo na barriga, se podia eu parava enquanto ela acontecia e depois continua com minhas atividades normalmente. Já as contrações do trabalho de parto, começaram igual as contrações falsas ou de braxton-hicks, com a única diferença que se repetiam a casa 15 ou 20 minutos. Eu não acreditava que estava em trabalho de parto. Achava que aquela sensação era normal por eu estar com 38 semanas de gestação e que iriam me preparar para o parto, que eu achava que iria ocorrer uma semana depois.


Bruna: Não tenho como responder.

Tati: As de treinamento apenas endureciam a barriga por alguns segundos. Bastava esperar um pouquinho e elas passavam. As verdadeiras endureciam a barriga, provocavam uma dor forte nas costas e faziam uma pressão enorme no colo do útero. Em um dos episódios dolorosos, eu fui para o chuveiro, aliviar as costas com a água quente. No outro episódio, era madrugada e eu fiquei de ladinho, encolhida na cama, cronometrando o tempo de duração e o intervalo entre elas.

5.Como foram as contrações no trabalho de parto?


Edna: Eu não cheguei a entrar em trabalho de parto, fiquei só nas contrações leves e indolores, devido ao Pedro estar com o cordão no pescoço não pude esperar mais e tive que fazer a cesárea logo.

Carol: Apesar de não ter tido um PN, minhas contrações chegaram a ficar 3 a cada 10 minutos, no começo foram bem leves, mas no final eram bem doloridas e longas, não sei relatar exatamente como eram as contrações, pois quando se entra na partolandia tudo se torna diferente, o que me lembro vagamente era que a Clarice chutava muito entre as contrações, eu vomitava durante as contrações, a dor era intensa, mas suportável, ainda mais se você tiver a certeza que o TP esta próximo, eu fiquei em desespero pois não dilatou nada e pelas contrações já era para estar próximo de minha filha nascer.

Cyy: Não cheguei a entrar no trabalho de parto, pois recomendação médica tivemos de realizar a cesárea, porém como já havia dito, uns dois dias antes as contrações de treinamento se intensificaram e eram bem doloridas.


Ana: As contrações no trabalho de parto começaram parecidas com as contrações de braxton-hicks. Iniciaram 20 horas antes do Erik nascer, eram indolores e eu percebi que estava entrando em trabalho de parto porque começou a se repetir a cada 15 ou 20 minutos e durava quase 1 minuto. Eu fiz minhas atividades normalmente neste dia. Por volta de 6 horas antes do parto, as contrações continuavam enrijecendo meu abdômen, mas não me incomodava. O que doía em mim era o osso sacro, parecia que ele ia se partir (doía muito) e tinha a sensação que ele se queimava (era eu dilatando e o Erik se encaixando para o nascimento). No dia 6 perdi meu tampão mucoso e não saiu sangue, apenas uma "clara de ovo". No dia 7 eu acordei normalmente e foi assim:
07 h= começam as contrações indolores e se repetiam a cada 15 ou 20 minutos
22h=começaram as contrações doloridas, principalmente no osso sacro; tomo banhos para relaxar e acelerar o trabalho de parto, massagem com hidratante e também, bolsas de água quente na região do sacro (abaixo da coluna lombar). O emocional e racional estão bem equilibrados, o bom-senso também. Tudo tranquilo ainda. Quando passa a contração (1 minuto) tudo volta ao normal, não sentia mais nada e podia fazer tudo numa boa.
24h= a dor intensifica, fico andando pela casa como uma doida, imagino que iria sentir aquela dor por uma semana, sinal que começo a entrar na partolândia; esqueço as coisas, só penso no meu filho, no bem-estar dele, no parto, na dor, sensação de que estou em outro planeta...são outras prioridades totalmente. Eu parei de contar os intervalos das contrações e fazia o possível para amenizar a dor. Nos intervalos, assistia Tv, conversava numa boa.
2:20h= (madrugada) Estou com 5cm de dilatação e diminuem cada vez mais o intervalo das contrações, e ainda assim, nos intervalos eu voltava a ser a Ana Claudia despreocupada, sorria, dava gargalhadas, brincava, fazia piada, numa boa. Mas, na hora da contração, pedia para ninguém colocar a mão em mim e eu aproveitava para conversar muito com o Erik kkk
3:10h=(madrugada) Tomo anestesia e não sinto mais nenhuma contração. Já estava com 10 cm de dilatação (muito rápido o trabalho de parto) e inicia o período de expulsão.
4:05h=(madrugada) nasce o Erik e mesmo anestesiada, pude sentir todo o corpo dele saindo de mim e todo o cordão umbilical, foi emocionante.


Bruna: Eu sentia uma dor bem forte no baixo ventre, que endurecia toda minha barriga e irradiava da frente para trás  Quando a contração vinha eu não consegui nem andar. Mas não cheguei a ter contrações com a frequencia de poucos minutos, as minhas ainda estavam bem espessadas e o Pedro nasceu de cesárea devido ao cordão que estava no pescoço!.

Tati: Não cheguei a entrar em TP, já que meu líquido começou a diminuir, eu não tinha dilatação e uma cesariana foi recomendada. Porém, como já disse, na semana em que o Miguel nasceu, tive dois episódios de contrações bem fortes e dolorosas, que me impediam de andar e - quase - de respirar, mas passavam logo.



3 comentários:

  1. eu sinto muitas dor nas costa e de baixo da barriga e voltade de evacuar e á barriga dura

    ResponderExcluir
  2. estou com dor de baixo da barriga e voltade de evacuar e a barriga dura eu estou com 38 semanas

    ResponderExcluir
  3. eu sinto muitas dor nas costa e de baixo da barriga e voltade de evacuar e á barriga dura

    ResponderExcluir